Pois é, mais uma dor de cabeça para o nosso querido amigo Bill Gates e seu staff. Em crescimento galopante surge a google com mais uma mostra da sua intenção de se fazer presente nas mais várias áreas das tecnologias de informação e comunicação. Trata-se do seu navegador web Chrome disponível para download na sua versão beta pública para windows.

Deste modo, dei uma pausa no Firefox e estou a explorá-lo ao máximo, e digo desde já que tenho observado um bom desempenho deste aplicativo, o que já era de esperar. 😉

Utilizando código da interface do Firefox e o mecanismo de renderização Webkit, criado pela equipe do KDE e desenvolvido pela Apple, o Google Chrome contém diversas inovações tecnológicas.

Uma das novidades mais perceptíveis é a velocidade de renderização de páginas — especialmente aquelas tradicionalmente pesadas, cheias de código Javascript — um resultado do uso do veloz Webkit e do compilador Javascript JIT V8. Além disso, a arquitetura interna do navegador é uma novidade na área: cada aba utiliza não uma thread, mas um processo independente, que fica isolado de todos os outros do navegador e do sistema operacional. Com isso, caso algum aplicativo web rodando na aba saia do controle, é possível matar somente o processo da aba, minimizando as conseqüências do código defeituoso da página.

Como sempre podemos esperar do Google, o navegador traz mais do que simples mudanças tecnológicas, e tem a pretensão de mudar a forma como navegamos — inclusive incentivando a separação das abas em janelas, para uso de aplicativos web em janelas independentes.

Somente Windows

Infelizmente para usuários Linux e Mac OS, a versão do Chrome liberada hoje só funciona em sistemas Windows, embora a equipe de desenvolvimento planeje também versões para Linux e Mac OS.

Fonte: Linux Digital