Category: Hardware


Windows

Se estiver a usar o windows XP ou versão superior, clique em Start -> Control Panel -> System and Maintenance -> System. O System type indica o tipo de sistema operativo.

Mac OS

Seleccione About this Mac no menu Apple. Na janela que surgir, Mac OS X dará a versão do sistema operacional, e na linha Processor está informação sobre o tipo de processador.


Linux

O utilizador deverá invocar o comando uname. Dependendo da plataforma, os resultados poderão ser:

[cph@gaylord ~]$ uname -a
Linux gaylord.stata.com 2.6.11-1.27_FC3 #1 Tue May 17 20:24:57 EDT 2005 x86_64 x86_64 x86_64 GNU/Linux

[cph@caddo ~]$ uname -a
Linux caddo.stata.com 2.6.9-5.0.5.EL #1 SMP Fri Apr 8 14:20:58 EDT 2005 ia64 ia64 ia64 GNU/Linux

[cph@tango ~]$ uname -a
Linux tango.stata.com 2.6.10-1.771_FC2smp #1 SMP Mon Mar 28 01:10:51 EST 2005 i686 i686 i386 GNU/Linux

Na listagem acima, Gaylord (x86_64 GNU / Linux) e Caddo (ia64 GNU / Linux) são de 64 bits. ‘Tango (i386 GNU / Linux) é uma plataforma de 32 bits.

Esta necessidade surgiu quando pretendia configurar a conexão à internet pelo serviço Movinet (Movicel), usando o modem usb da Anydata ADU-100-A.

Siga os seguintes passos:

1. Instale o pacote gnomePPP caso não exista no seu sistema (baixei aqui: http://garr.dl.sourceforge.net/sourceforge/projeto-messias/modem-arquivos-v21.tar.gz ).

Att.: O tutorial existente não foi actualizado, mas é de leitura obrigatória. A descompactação pela linha de comandos (Terminal) estava a gerar erros, por isso continuei no ambiente gráfico, e instalei o gnomePPP dando duplo clique no ficheiro “gnome-ppp_0.3.23-1_i386.deb”.

2. Conecte o modem USB  ao PC (no meu caso, Modem Anydata ADU-100A)

3. Na linha de comandos e como root, digite: gnome-ppp (ou, sem estar como root mas com elevados previlégios, digite sudo gnome-ppp, e antes de abrir a aplicação é solicitado a password de administrador).

Esse passo também pode ser dado no ambiente gráfico, seguindo: Aplicações -> Internet -> GNOME PPP

4. Surge a janela de configuração. Na tab “Modem” clique em ‘Detect’. O modem na porta usb é automaticamente detectado, com o tipo ‘Analog Modem’, portanto em “Type” escolhe ‘USB Modem’. Não altere a opção “Speed”. Na opção “Dial Prefix” digite :#

Na tab “Networking” as opções “Dynamic IP address” e “Automatic DNS” estão seleccionadas por defeito, não altere.

Na tab “Options” escolhe “Dock in notification area” e “Reconect automatically” (Já que há dias em que parece que aderimos ao pacote “Bungee jumping” lol :-))

Feche a janela.

5. Coloque o seu username.

Para os utilizadores do serviço movinet o username é constituído da seguinte forma: 2440númerodomodem@movinet.info

Exemplo: 2440910000000@movinet.info

Coloque a senha.

Para os utilizadores do serviço movinet a senha é: movicel

Coloque em  “Phone number” o número: 777

6. Clique em ‘connect’. Surgirá uma pequena janela, que desaparecerá logo que a conexão for estabelecida com sucesso. Caso não desapareça, clique em “log” e veja qual é o problema.

Comigo resultou!


🙂 Apartir de hoje, mas sem alguma sequência de publicação ;-); apresentarei as 100 melhores Leis de Murphy.

Aqui vão:

1. Se alguma coisa pode dar errado, dará. E mais, dará errado da pior
maneira, no pior momento e de modo que cause o maior dano possível.

2. Um atalho é sempre a distância mais longa entre dois pontos.

3. Nada é tão fácil quanto parece, nem tão difícil quanto a explicação do
manual.

4. Tudo leva mais tempo do que todo o tempo que você tem disponível.

5. Se há possibilidade de várias coisas darem errado, todas darão – ou a que
causar mais prejuízo.

6. Se você perceber que uma coisa pode dar errada de 4 maneiras e conseguir
driblá-las, uma quinta surgirá do nada.

7. Seja qual for o resultado, haverá sempre alguém para:
a) interpretá-lo mal. b) falsificá-lo. c) dizer que já o tinha previsto em
seu último relatório.

8. Quando um trabalho é mal feito, qualquer tentativa de melhorá-lo piora.

9. Acontecimentos infelizes sempre ocorrem em série.

10. Toda vez que se menciona alguma coisa: se é bom, acaba; se é ruim,
acontece.

Em resposta a alguns comentários e questões sobre o INFRASAT procurarei esclarecer de uma maneira muito simples o impacto do seu surgimento.

Imaginemos que todo o sistema de Telecomunicações possua uma estrutura hierárquica em que num ponto mais alto estão as instituições que disponibilizam os serviços (telefonia móvel ou fixa, televisão por cabo ou satélite, internet, etc), e num nível mais baixo encontramos os clientes ou usuários desses serviços! Nesta perspectiva e num nível intermédio, o INFRASAT funcionará como o suporte tecnológico, a infraestrutura, que permitirá aos elementos do nível mais baixo desfrutarem de todos os serviços de última geração com uma excelente qualidade e à baixo preço por tratar-se de uma infraestrutura nacional, não havendo a actual necessidade de fazer-se o uso de links satélites alugados pertencentes à entidades estrangeiras, o que era apresentado como um dos motivos dos preços exorbitantes!

Em pleno funcionamento o INFRASAT será uma mais valia nas infraestruturas de telecomunicações nacional e internacional, juntando-se ao SAT-3, o cabo internacional de telecomunicações em fibras ópticas (famoso pelos cortes que tem sofrido J) e à outros sistemas actualmente em funcionamento que têm proporcionado até certo nível serviços semelhantes ao INFRASAT.

Satisfeitas ficarão as instituições que se têm confrontado com a inviabilização de alguns de seus projectos por razões de insuficiências tecnológicas. Pude constatar tal facto durante a participação em um fórum dos Profissionais e Estudantes em IT organizado pela CAFA (Célula Académica First Angola), no qual uma das empresas voltadas ao ensino à distância apontava como um facto peremptório para a sua plena implantação em Angola a necessidade de melhoria da infraestrutura de telecomunicações.

Com isso é fácil concluirmos que os frutos desse projecto servirão para melhorar a vida ( No Stress ;-))de todos que directa ou indirectamente usufruem dos benefícios das novas tecnologias.

kamasutra Informático

Como sou bom rapaz, é por isso que evito o Hardware! lol 😉

Neste post apresento o resultado da pesquisa solicitada pelo professor da cadeira de Comunicação por Computadores, sobre os sistemas de satélites similares ao famoso GPS.

 

 

GPS 

O Sistema de Posicionamento Global, vulgarmente conhecido por GPS (do acrónimo do inglês Global Positioning System), é um sistema de posicionamento por satélite, por vezes incorrectamente designado de sistema de navegação, utilizado para determinação da posição de um receptor na superfície da Terra ou em órbita.

O sistema foi declarado totalmente operacional apenas em 1995. Seu desenvolvimento custou 10 bilhões de dólares. Consiste numa “constelação” de 28 satélites sendo 4 sobressalentes em 6 planos orbitais. Os satélites GPS, construídos pela empresa Rockwell, foram lançados entre Fevereiro de 1978 (Bloco I), e 6 de Novembro de 2004 (o 29º). Cada um circunda a Terra duas vezes por dia a uma altitude de 20200 quilômetros (12600 milhas) e a uma velocidade de 11265 quilômetros por hora (7000 milhas por hora).

O sistema GPS foi criado e é controlado pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América, DoD, e pode ser utilizado por qualquer pessoa, gratuitamente, necessitando apenas de um receptor que capte o sinal emitido pelos satélites.  O sistema está dividido em três partes: espacial, de controlo e utilizador. O segmento espacial é composto pela constelação de satélites. O segmento de controlo é formado pelas estações terrestres dispersas pelo mundo ao longo da Zona Equatorial, responsáveis pela monitorização das órbitas dos satélites, sincronização dos relógios atómicos de bordo dos satélites e actualização dos dados de almanaque que os satélites transmitem. O segmento do utilizador consiste num receptor que capta os sinais emitidos pelos satélites. Um receptor GPS (GPSR) descodifica as transmissões do sinal de código e fase de múltiplos satélites e calcula a sua posição com base nas distâncias a estes. A posição é dada por latitude, longitude e altitude, coordenadas geodésicas referentes ao sistema WGS84.

 GLONASS

O GLONASS (Global Navigation Satellite System) é um sistema de posicionamento geográfico, similar ao GPS, conta com uma constelação de 24 satélites divididos em três órbitas, pertence à Federação Russa. O primeiro satélite GLONASS foi lançado em 12 de Outubro de 1982, mas tinha apenas objectivos militares, datando a versão comercial do sistema apenas de 1993.

Uma constelação completa do GLONASS será composta de 24 satélites em 3 planos orbitais – 8 satélites por plano. Os planos tem a inclinação de 64.8° que é maior que os planos orbitais do GPS (55°) – isto é um benefício para os usuários localizados em latitudes altas (ou baixas) já que os satélites GLONASS viajam muito mais ao norte (ou sul) que os satélites GPS.

Os satélites GLONASS orbitam à uma altitude de 19,100km – mais baixo que a órbita do GPS de 20,200km. Esta órbita mais baixa significa que os satélites GLONASS completam uma em volta da Terra em 11horas e 15minutos – comparado às 11horas e 58minutoss para a órbita do GPS. 

Segundo Parkinson e Spilker (2006) o propósito do sistema global de navegação por satélite GLONASS é prover a um número ilimitado de usuários com serviços de posicionamento tridimensional, medida de velocidade e de tempo em qualquer lugar do globo terrestre e em qualquer condição climática.

 

GALILEO 

Galileo é um Sistema de Posicionamento Global por satélite europeu. Concebido desde o início como um projecto civil, em oposição ao GPS americano e ao GLONASS russo que são de origem militar, tendo, várias vantagens: maior precisão (ainda a ser confirmado em testes reais), maior segurança (possibilidade de transmitir e confirmar pedidos de ajuda em caso emergência) e menos sujeito a problemas (o sistema tem a capacidade de testar a sua integridade automaticamente). Além disso, o sistema será inter-operável com os outros dois sistemas já existentes, permitindo uma maior cobertura de satélites.

O sistema completo incluirá 30 satélites, dos quais 3 ficarão em reserva como suplentes caso sejam necessários, e prevê-se a sua entrada em funcionamento em 2010, embora com um atraso de dois anos face às perspectivas iniciais.

Os primeiros sinais Galileo foram transmitidos no dia 12 de Janeiro de 2006 pelo satélite GIOVE-A que tinha sido colocado em órbita a 28 de Dezembro de 2005. Em construção está o GIOVE-B, o segundo satélite de teste.

Na corrida pelo maior e melhor aparelho de projecções hologŕaficas e imagens em três dimensões – que muitos acreditam ser a próxima geração de telas, TVs e monitores – fez um grupo de universitários da University of Southern California, Andrew Jones, Ian McDowall, Hideshi Yamada, Mark Bolas e Paul Debevec desenvolver uma tecnologia de hologramas 3D que pode ser vista por todos os lados.

O sistema foi designado como de baixo custo, e é formado por vários micro-espelhos que se movimentam rapidamente, cobertos por um difusor anisotrópico hologŕafico, um controlador de acções, projector de alta velocidade e um PC comum.

A equipa usou uma saída DMI com uma placa única NVIDIA 8800, com um projector usando um decodificador de imagens baseado em FPGA. Os espelhos, instalados a 45 graus, refletem a luz em todos os ângulos possíveis.

O vídeo de demonstração mostra um gráfico simples em um visual puramente 3D. Os espelhos giram de 900 a 1200 RPM, com uma taxa de actualização visual de 12 a 20 Hz (cores a 30-40 Hz), e a resolução é de 768 x 768 pixels. Actualmente, somente as cores acinzentadas são mostradas, ou até duas cores por DVI.

Um aspecto interessante da demonstração é a habilidade de manipular o holograma para vê-lo em diversos ângulos, por um controle de movimento. Vale lembrar que esta é a tecnologia mais realística de hologramas já demonstrado até hoje.

holograma


Chama-se Microsoft Surface e substitui a necessidade de uso de um teclado e do rato por funcionalidades de touchscreen aliadas ao reconhecimento de voz.
ms1.jpg
Este equipamento é ainda um protótipo da visão que a empresa de Bill Gates tem do futuro da computação pessoal em ambiente doméstico.O Microsoft Surface tem uma estrutura de plástico, integra um ecrã de 76 centímetros sobre o qual os utilizadores podem mexer e interagir com objectos e dados, podendo usar os dedos para desenhar e para fazer escolhas.O sistema também está preparado para reconhecer objectos que se coloquem sobre a superfície da mesa como telemóveis, partilhando automaticamente dados e informações.

A Microsoft anunciou que pretende dar início ao processo de fabrico destes equipamentos tendo já como primeiros clientes a cadeia de hotéis Sheraton e os casinos Harrah.

                                          

Ranking 2006

ranking.JPG

O site Top500 supercomputer  divulgou em Novembro de 2006, durante o International Supercomputing Conference, em Tampa, nos Estados Unidos, a lista dos 500 supercomputadores de todo mundo. Essa lista é compilada duas vezes em cada ano, desde Junho de 1993 e conta com o apoio de especialistas em computadores de elevada performance, cientistas computacionais, fabricantes e da comunidade cibernética em geral que responde a questionários enviados.

O supercomputador mais rápido do mundo pertence à IBM. É o BlueGene/L, instalado no Lawrence Livermore National Laboratoy, no Departamento de Energia dos Estados Unidos. Tem desempenho de 280,6 teraflops (280 trilhões de operações por segundo). Nenhuma outra máquina do ranking ultrapassa aos 100 teraflops.

Infelizmente o meu país, Angola, ainda não está na lista mas não faltará muito. 🙂

Baixar Lista Completa

Espaço livre!!!

É chegado o momento de pausa naqueles malabarismos de procurar ter uma grande capacidade de armazenamento de dados em discos duros (até ao dia em que 1 terabyte não significar um alívio…).

A Hitachi apresentou no início de Janeiro o primeiro disco rígido com uma capacidade de armazenamento de 1 Terabyte.

No Deskstar 7K1000 será possível armazenar 500 filmes ou 250 filmes de alta resolução ou ainda 250 mil horas de música digital.

A Seagate espera anunciar ainda durante o primeiro semestre deste ano o seu primeiro disco rígido com capacidade de armazenamento de 1 Terabyte.