Semestre “terminado” (entre aspas por existirem ainda as benditas provas da CISCO na fila, aguardando por processamento ;-)), e vamos dar início a meia-maratona de informações que, felizmente, para uns ou, infelizmente, para outros, será dominada pelas tecnologias livres e de código aberto.

Nos próximos dias serão apresentados temas relactivos  a três importantes áreas das tecnologias de informação, sendo o desenvolvimento de software, a administração de sistemas e a administração de base de dados.

Como aperitivo, começo hoje por apresentar o conceito de LAMP. LAMP é um acrônimo para um conjunto de soluções de software livre, formado pelas primeiras letras de Linux (sistema operativo), Apache HTTP Server, MySQL (software de banco de dados relacional) e PHP (linguagem de programação interpretada), juntos contituem os principais componentes para implementação de um servidor web robusto.

O conjunto de software incluso no pacote LAMP pode variar, especialmente no que diz respeito à linguagem de programação, podendo ser substituida por Java, Python, Perl, entre outras. Existem ainda termos similares para descrever o conjunto de softwares “AMP” em execução em outros sistemas operativos, tais como o MS Windows  (WAMP),  Mac OS  (MAMP),  Solaris  (SAMP), ou OpenBSD  (OPAMP).

Esta combinação de software tornou-se popular porque é gratuita, de código aberto e, portanto, facilmente adaptável, e por causa da omnipresença de seus componentes que são empacotados com a mais actuais distribuições Linux.

Fonte: Wikipedia (adaptado)

Anúncios